Old Ideas

Different Sides

Different Sides - Lados opostos

We find ourselves on different sides
Of a line that nobody drew
Though it all may be one in the higher eye
Down here where we live it is two

I to my side call the meek and the mild
You to your side call the Word
By virtue of suffering I claim to have won
You claim to have never been heard

Both of us say there are laws to obey
But frankly I don’t like your tone
You want to change the way I make love
I want to leave it alone (I want to leave it…)

The pull of the moon the thrust of the sun
And thus the ocean is crossed
The waters are blessed
while a shadowy guest
Kindles a light for the lost

Both of us say there are laws to obey…

Down in the valley the famine goes on
The famine up on the hill
I say that you shouldn’t you couldn’t you can’t
You say that you must and you will

Both of us say there are laws to obey…

You want to live where the suffering is
I want to get out of town
C’mon baby give me a kiss
Stop writing everything down

Both of us say there are laws to obey
But frankly I don’t like your tone
You want to change the way I make love
I want to leave it alone

Both of us say there are laws to obey…

Nos encontramos em lados opostos
de uma linha desenhada por ninguém
Mesmo que tudo isso possa ser um ao olhar de fora
Aqui mesmo onde vivemos vemos dois

Eu, do meu lado, chamo o dócil e o meigo
Você, do seu lado, chama o Verbo
Pela virtude do sofrimento, digo que ganhei
Você alega que nunca foi ouvida

Ambos dizemos que há leis para serem seguidas
Mas francamente não gosto do seu tom
Você quer mudar o modo como faço amor
Quero deixar isso quieto

A atração da lua, o empuxo do sol
E assim o oceano é atravessado
As águas são abençoadas enquanto
um convidado sombrio
Acende uma luz para os perdidos

Ambos dizemos que há leis para serem seguidas...

Abaixo do vale o faminto vai em frente
O faminto sobe a montanha
Digo que você não deveria não poderia não pode
Você diz que deve e vai

Ambos dizemos que há leis para serem seguidas...

Você quer viver onde está o sofrimento
Quero sair da cidade
Vamos, baby, me beije
Pare de botar tudo isso no papel

Ambos dizemos que há leis para serem seguidas
Mas francamente não gosto do seu tom
Você quer mudar o modo como faço amor
Quero deixar isso quieto

Ambos dizemos que há leis para serem seguidas...

Lullaby

Lullaby - Canção de ninar

Sleep baby sleep
The day’s on the run
The wind in the trees
Is talking in tongues

If your heart is torn
I don’t wonder why
If the night is long
Here’s my lullaby

Well the mouse ate the crumb
Then the cat ate the crust
Now they’ve fallen in love
They’re talking in tongues

If your heart is torn…

Sleep baby sleep
There’s a morning to come
The wind in the trees
they’re talking in tongues

If your heart is torn
I don’t wonder why
If the night is long
Here’s my lullaby

Durma, baby, durma
O dia está corrido
O vento nas árvores
está falando sem querer

Se seu coração está partido
Não quero saber o por quê
Se a noite é longa
Esta é minha canção de ninar

Bem, o rato comeu a migalha
Então o gato comeu a casca
Hoje, eles se apaixonaram
estão falando sem querer

Se seu coração está partido...

Durma, baby, durma
Há uma manhã chegando
O vento nas árvores
está falando sem querer

Se seu coração está partido
Não quero saber o por quê
Se a noite é longa
Esta é minha canção de ninar

Banjo

Banjo - Banjo

There’s something that I’m watching
Means a lot to me
It’s a broken banjo bobbing
On the dark infested sea

Don’t know how it got there
Maybe taken by the wave
Off of someone’s shoulder
Or out of someone’s grave

It’s coming for me darling
No matter where I go
Its duty is to harm me
My duty is to know

There’s something that I’m watching
Means a lot to me
It’s a broken banjo bobbing
On the dark infested sea

Há uma coisa que significa muito pra mim
e que venho observando
É um banjo quebrado que balança
No escuro e infestado mar.

Não sei como foi parar lá
Talvez carregado pela onda
Ou caído do ombro de alguém
Ou saído da sepultura de outrem.

Ele vem até mim, querida
Não importa onde eu vá
Seu dever é me ferir
Meu dever é saber

Há uma coisa que significa muito pra mim
e que venho observando
É um banjo quebrado que balança
No escuro e infestado mar.

Come Healing

Come Healing - Venha curando

O gather up the brokenness
And bring it to me now
The fragrance of those promises
You never dared to vow

The splinters that you carry
The cross you left behind
Come healing of the body
Come healing of the mind

And let the heavens hear it
The penitential hymn
Come healing of the spirit
Come healing of the limb

Behold the gates of mercy
In arbitrary space
And none of us deserving
The cruelty or the grace

O solitude of longing
Where love has been confined
Come healing of the body
Come healing of the mind

O see the darkness yielding
That tore the light apart
Come healing of the reason
Come healing of the heart

O troubled dust concealing
An undivided love
The Heart beneath is teaching
To the broken Heart above

O let the heavens falter
And let the earth proclaim:
Come healing of the Altar
Come healing of the Name

O longing of the branches
To lift the little bud
O longing of the arteries
To purify the blood

And let the heavens hear it
The penitential hymn
Come healing of the spirit
Come healing of the limb

O let the heavens hear it…

Reúna a fragilidade
e traga a mim
Aquele fragrância promete
o que você nunca ousou jurar

As farpas que você carrega
da cruz que deixou pra trás
Venha, cura do corpo
Venha, cura da mente

Deixe que os paraísos escutem
O hino de penitência
Venha, cura do espírito
Venha, cura dos membros

Observe as portas da misericórdia
num espaço arbitrário
E nenhum de nós merece
a crueldade ou a graça

Ó, solidão da saudade
onde o amor foi confinado
Venha, cura do corpo
Venha, cura da mente

Veja a escuridão se entregando
Apagando os traços da luz
Venha, cura da razão
Venha, cura do coração

Ó, poeira turva conciliando
um amor completo
O Coração de baixo está ensinando
ao Coração partido de cima

Ó, deixe que os céus hesitem
E deixe a terra proclamar
Venha, cura do Altar
Venha, cura do Nome

Ó, saudade que os galhos sentem
de fazer nascer o pequeno broto
Ó, saudade que as artérias sentem
de purificar o sangue

E deixe que os céus escutem este
Hino penitencial
Venha, cura do espírito
Venha, cura dos membros

Ó, deixe que os céus escutem este...

Crazy to Love You

Crazy to Love You - Louco pra te amar

Had to go crazy to love you
Had to go down to the pit
Had to do time in the tower
Begging my crazy to quit

Had to go crazy to love you
You who were never the one
Whom I chased through the souvenir heartache
Her braids and her blouse all undone

Sometimes I’d head for the highway
I’m old and the mirrors don’t lie
But crazy has places to hide in
Deeper than saying goodbye

Had to go crazy to love you
Had to let everything fall
Had to be people I hated
Had to be no one at all

I’m tired of choosing desire
Been saved by a sweet fatigue
The gates of commitment unwired
And nobody trying to leave

Sometimes I’d head for the highway…

Had to go crazy to love you...

Pra te amar, tive que enlouquecer
Tive que ir ao fundo do poço
Tive que fazer hora na torre
Implorando pra que a loucura cessasse

Pra te amar, tive que enlouquecer
Você que nunca foi aquela
que persegui pela lembrança da mágoa
Sua blusa amassada e sua trança desfeita

Às vezes, me dirigia à estrada
Sou velho e os espelhos não mentem
Mas a loucura tem lugares pra se esconder,
lugares mais fundos que dar um adeus

Pra te amar, tive que enlouquecer
Tive que deixar tudo desmoronar
Tive que ser pessoas que odeio
Tive que ser ninguém afinal

Estou cansado de escolher o desejo
Sendo salvo por uma doce fadiga
As portas do comprometimento abertas
e ninguém as tentando cruzar

Às vezes, me dirigia à estrada...

Pra te amar, tive que enlouquecer...

Anyhow

Anyhow - De qualquer modo

It’s a shame and it’s a pity
The way you treat me now
I know you can’t forgive me
But forgive me anyhow
The ending got so ugly
I even heard you say
You never ever loved me
Oh but love me anyway

Dreamed about you baby
You were wearing half your dress
I know you have to hate me
But could you hate me less?

I used up all my chances
And you’ll never take me back
But there ain’t no harm in asking
Could you cut me one more slack?
I’m naked and I’m filthy
And there’s sweat upon my brow
And both of us are guilty
Anyhow

Have mercy on me baby
After all I did confess
Even though you have to hate me
Could you hate me less?

It’s a shame and it’s a pity
I know you can’t forgive me
The ending got so ugly
You never ever loved me
Dreamed about you baby
I know you have to hate me
I’m naked and I’m filthy
And both of us are guilty
Anyhow
Have mercy on me baby

É uma vergonha e uma pena
que me trate assim agora
Sei que não pode perdoar-me
Mas, de qualquer modo, me perdoe
Nosso fim foi tão feio
Até ouvi você dizer
Que nunca me amou
Mas me ame, de qualquer modo

Sonhei contigo, baby
Seu vestido estava pela metade
Sei que você precisa que me odiar
Mas seu ódio poderia ser menor?

Usei todas minhas chances
E você nunca me aceitará
Mas perguntar não machuca
Poderia cortar mais um pedaço do vestido?
Estou nu e sou obsceno
Minha sobrancelha está suada
E nós dois somos culpados,
de qualquer modo

Baby, tenha dó de mim
Apesar de tudo, confessei
Mesmo que tenha que me odiar
Seu ódio poderia ser menor?

É uma vergonha e uma pena
que me trate assim agora
Nosso fim foi tão feio
Você nunca me amou
Sonhei contigo, baby
Sei que você precisa me odiar
Estou nu e sou obsceno
E nós dois somos culpados
de qualquer modo
Baby, tenha dó de mim

The Darkness

The Darkness - A escuridão

I caught the darkness
Drinking from your cup
I caught the darkness
Drinking from your cup
I said: Is this contagious?
You said: Just drink it up

I got no future
I know my days are few
The present’s not that pleasant
Just a lot of things to do
I thought the past would last me
But the darkness got that too

I should have seen it coming
It was right behind your eyes
You were young and it was summer
I just had to take a dive
Winning you was easy
But darkness was the prize

I don’t smoke no cigarette
I don’t drink no alcohol
I ain’t had much loving yet
But that’s always been your call
Hey I don’t miss it baby
I got no taste for anything at all

I used to love the rainbow
I used to love the view
I loved the early morning
I’d pretend that it was new
But I caught the darkness baby
And I got it worse than you
I caught the darkness…

Flagrei a escuridão
Bebendo do seu copo
Flagrei a escuridão
Bebendo do seu copo
Perguntei: isso é contagioso?
Você disse: apenas beba.

Não tenho futuro
Sei que meus dias estão contados
E o presente não é lá agradável
Muitas coisas a serem feitas
Achei que o passado viveria a mim
Mas a escuridão me superou

Eu deveria ter previsto
Estava diante de seus olhos
Você era jovem, estávamos no verão
Tive que apenas dar um mergulho
Ganhar de você foi fácil
Mas o prêmio era a escuridão

Não fumo cigarro
Não consumo álcool
Não tinha ainda muito amor pra dar
Mas essa sempre foi sua reclamação
Ei, baby, não me esqueci
Não tenho saco pra mais nada

Eu amava o arco-íris
Amava o panorama
Amava cada amanhecer
Fingia que tudo era novo
Mas peguei a escuridão, baby
De um jeito mais forte que o seu
Peguei a escuridão...

Show me the Place

Show me the Place - Mostre o lugar

Show me the place
Where you want your slave to go
Show me the place
I’ve forgotten, I don’t know
Show me the place
For my head is bending low
Show me the place
Where you want your slave to go

Show me the place
Help me roll away the stone
Show me the place
I can’t move this thing alone
Show me the place
Where the Word became a man
Show me the place
Where the suffering began

The troubles came
I saved what I could save
A thread of light
A particle a wave
But there were chains
So I hastened to behave
There were chains
So I loved you like a slave

Show me the place
Where you want your slave to go
Show me the place
I’ve forgotten, I don’t know

Me mostre o lugar
Pra onde deve ir seu escravo
Me mostre o lugar
Esqueci, não sei
Me mostre o lugar
Pois estou caindo no sono
Me mostre o lugar
Pra onde deve ir seu escravo

Me mostre o lugar
Me ajude a rolar a pedra
Me mostre o lugar
Não consigo empurrá-la sozinho
Me mostre o lugar
Onde o Verbo se fez homem
Me mostre o lugar
Onde o sofrimento começou

Os problemas começaram
Salvei o que podia salvar
Um fio de luz
Uma partícula de onda
Mas havia correntes
Então me apressei em obedecer
Mas havia correntes
Então te amei como um escravo

Me mostre o lugar
Pra onde devem ir seu escravo
Me mostre o lugar
Esqueci, não sei

Amen

Amen - Amém

Tell me again
When I’ve been to the river
And I’ve taken the edge off my thirst
Tell me again
We’re alone & I’m listening
I’m listening so hard that it hurts
Tell me again
When I’m clean and I’m sober
Tell me again
When I’ve seen through the horror
Tell me again
Tell me over and over
Tell me you want me then
Amen

Tell me again
When the victims are singing
And Laws of Remorse are restored
Tell me again
That you know what I’m thinking
But vengeance belongs to the lord
Tell me again…

Tell me again
When the day has been ransomed
& night has no right to begin
Try me again
When the angels are panting
And scratching the door to come in
Tell me again
When I’m clean and I’m sober
Tell me again…

Tell me again
When the filth of the butcher
Is washed in the blood of the lamb
Tell me again
When the rest of the culture
Has passed thru’ the Eye of the Camp
Tell me again…

Diga de novo
Quando estive no rio
e amenizei minha sede
Diga de novo
Estamos sozinhos e estou te ouvindo
Com tanta atenção que até ofende
Diga de novo
Quando estou limpo e sóbrio
Diga de novo
Quando levei ao cabo o horror
Diga de novo
Repita sem parar
Diga então que me quer
Amém

Diga de novo
Quando as vítimas cantarem
E as Leis do Remorso se restabelecerem
Diga de novo
Que você sabe o que penso
Mas a vingança pertence ao senhor
Diga de novo...

Diga de novo
Quando o dia for libertado
E a noite impedida de chegar
Tente de novo
Quando os anjos estiverem pintando
E arranhando a porta para entrar
Diga de novo
Quando estou limpo e sóbrio
Diga de novo...

Diga de novo
Quando a sujeira do açougueiro
For lavada no sangue do cordeiro
Diga de novo
Quando a sobra da cultura
Passar pelo Buraco da Agulha
Diga de novo...

Going Home

Going Home - Indo pra casa

I love to speak with Leonard
He’s a sportsman and a shepherd
He’s a lazy bastard
Living in a suit

But he does say what I tell him
Even though it isn’t welcome
He just doesn’t have the freedom
To refuse

He will speak these words of wisdom
Like a sage, a man of vision
Though he knows he’s really nothing
But the brief elaboration of a tube

Going home
Without my sorrow
Going home
Sometime tomorrow
Going home
To where it’s better
Than before

Going home
Without my burden
Going home
Behind the curtain

Going home
Without the costume
That I wore

He wants to write a love song
An anthem of forgiving
A manual for living with defeat

A cry above the suffering
A sacrifice recovering
But that isn’t what I need him
to complete

I want to make him certain
That he doesn’t have a burden
That he doesn’t need a vision
That he only has permission
To do my instant bidding
Which is to SAY what I have told him
To repeat

Going home…

I love to speak with Leonard
He’s a sportsman and a shepherd
He’s a lazy bastard
Living in a suit

Amo conversar com Leonard
Ele é um esportista e um pastor
Ele é um puta preguiçoso
Sua roupa sempre no rigor

Mas ele repete o que digo a ele
Mesmo que as palavras não sejam bem-vindas
Ele apenas não tem o atrevimento
De não aceitar

Ele dirá palavras profundas
Como um sábio, um homem de visão
Mesmo sabendo que não é de nada,
exceto por um raso intelecto de TV.

Indo pra casa
Sem minha tristeza
Indo pra casa
Alguma hora amanhã
Indo pra casa
Pra onde seja melhor
do que antes.

Indo pra casa
Sem meu fardo
Indo pra casa
pelos bastidores.

Indo pra casa
sem o traje
que eu usava.

Ele quer compor uma canção de amor
Um hino do perdão
Um manual para viver com a derrota

Um choro acima da dor
uma reconquista do sacrifício
Mas não é isso o que exijo que
ele conclua.

Quero fazê-lo seguro
Que ele não carregue um fardo
Que ele não precise de opinião
Que ele só tenha permissão
Para cumprir na hora minha ordem
Que é PROFERIR o que disse pra ele
Repetir.

Indo pra casa...

Amo conversar com Leonard
Ele é um esportista e um pastor
Ele é um puta preguiçoso
Sua roupa sempre no rigor