Suzanne

<a href="http://www.youtube.com/watch?v=otJY2HvW3Bw?hl=en"><img src="http://traduzindoleonardcohen.com.br/wp-content/plugins/images/play-tub.png" alt="Play" style="border:0px;" /></a>
Suzanne takes you down to her place near the river
You can hear the boats go by
You can spend the night beside her
And you know that she's half crazy
But that's why you want to be there
And she feeds you tea and oranges
That come all the way from China
And just when you mean to tell her
That you have no love to give her
Then she gets you on her wavelength
And she lets the river answer
That you've always been her lover
And you want to travel with her
And you want to travel blind
And you know that she will trust you
For you've touched her perfect body with your mind.
And Jesus was a sailor
When he walked upon the water
And he spent a long time watching
From his lonely wooden tower
And when he knew for certain
Only drowning men could see him
He said "All men will be sailors then
Until the sea shall free them"
But he himself was broken
Long before the sky would open
Forsaken, almost human
He sank beneath your wisdom like a stone
And you want to travel with him
And you want to travel blind
And you think maybe you'll trust him
For he's touched your perfect body with his mind.
Now Suzanne takes your hand
And she leads you to the river
She is wearing rags and feathers
From Salvation Army counters
And the sun pours down like honey
On our lady of the harbour
And she shows you where to look
Among the garbage and the flowers
There are heroes in the seaweed
There are children in the morning
They are leaning out for love
And they will lean that way forever
While Suzanne holds the mirror
And you want to travel with her
And you want to travel blind
And you know that you can trust her
For she's touched your perfect body with her mind.
Suzanne te conduz ao seu canto junto ao rio
Você pode ouvir os barcos passando
Pode passar a noite ao seu lado
Você sabe que ela é um pouco doida
E essa é a razão para se estar ali
Ela te serve chá e laranjas
Vindos diretamente da China
Bem quando você pretendia dizer a ela
Que não tem amor a oferecer
Ela faz com que entrem em sintonia
E deixa que o rio responda
Que você sempre foi seu amante
Você quer viajar ao seu lado
Quer viajar cegamente
Sabe que ela pode confiar em ti
Pois você acariciou mentalmente seu corpo perfeito.
E Jesus foi um marinheiro
Quando andou por sobre a água
E passou um bom tempo contemplando
De sua isolada torre de madeira
E quando teve certeza
Que apenas os afogados podiam vê-lo
Ele disse “Que todos sejam marinheiros
Até que o mar os liberte”
Mas ele mesmo estava desolado
Muito antes de o céu se abrir
Abandonado, quase humano
Ele afundou em sua sabedoria como uma pedra
E você quer viajar ao lado dele
Quer viajar cegamente
E acha que talvez confiará nele
Pois ele acariciou mentalmente seu corpo perfeito.
Agora Suzanne toma a sua mão
E te conduz até o rio
Ela usa plumas e trapos
Dos balaios do Exército da Salvação
E o sol se derrama como mel
Em nossa dama da enseada
Ela sugere que você olhe
Entre a lixeira e as flores
Há heróis nas algas marinhas
Há crianças na manhã
Eles seguem para o amor
E seguirão assim para sempre
Enquanto Suzanne segura o espelho
E você quer viajar ao lado dela
Quer viajar cegamente
Você sabe que pode confiar nela
Pois ela acariciou mentalmente seu corpo perfeito.